SAPATOS - PAIXÃO HISTÓRICA

A maioria das mulheres está sempre disposta a passar por algumas horas de sofrimento para não deixar de lado o sapato perfeito. Porém, há também quem prefira o conforto. 

MODELO CHANEL
Até mesmo o antológico modelo Chanel, com calcanhar de fora e bico de cetim preto, criado em 1958, foi desenhado para usar elástico na tira acima do calcanhar e, assim, dispensar a fivela.

 TÊNIS
 Já o tênis, que de sensual não tem nada, era um calçado exclusivo de ricos que praticavam esportes.
Mas, se você é daquelas que não descem de um salto 12 por nada, uma verdade tem que ser dita: os sapatos baixos têm lá suas vantagens, e a mais importante é que eles preservam a saúde dos pés.
Portanto, cuidado com as paixões avassaladoras!


PAOLA JACOBBI

A paixão pelos sapatos, que acomete todas as mulheres, em maior ou menor grau, inspirou a italiana Paola Jacobbi, filha de brasileira e jornalista da revista Vanity Fair, a escrever o livro Eu Quero Aquele Sapato, lançado pela editora Objetiva no Brasil. Depois de extensa pesquisa e dezenas de entrevistas, ela se surpreendeu ao descobrir que o mentor do salto alto foi, na verdade, um homem. Luís XIV, rei da França entre 1643 e 1715, por ser muito baixo, mandou que fossem confeccionados modelos com salto.

IMELDA MARCOS
A mania de sapatos pode ser generalizada, mas foi Imelda Marcos, a ex-primeira dama das Filipinas, quem entrou para a história como a maior colecionadora de sapatos do mundo. Durante o governo de seu marido, Ferdinand Marcos, ela se tornou conhecida por correr o planeta atrás de modelos novos, enquanto milhões de pessoas em seu país viviam em extrema pobreza. A coleção de Imelda chegou a ser estimada em três mil pares. O que ela nega com veemência. Diz que eram "apenas 1060". Em 2001, Imelda abriu um museu na cidade de Marikina, para mostrar, claro, seus sapatos. No local, foram expostos centenas de modelos, como alguns dos que foram deixados no palácio presidencial quando Imelda e Ferdinand tiveram de fugir das Filipinas em 1986.

 MARILIN MONROE
Muitos sapatos se tornaram famosos depois de calçarem alguns dos pés mais cobiçados do planeta. O salto agulha virou símbolo máximo de sensualidade após ser adotado por Marilyn Monroe. Fã do sapato alto, ela declarou: ''Não sei quem inventou o salto alto, mas todos os homens devem muito a ele''. Junto com vestidos decotados e esvoaçantes, os sapatos eram considerados armas de sedução para uma dos maiores sexy symbols de todos os tempos.

AUDREY HEPBURN
Mais discreta, mas não menos desejada, a bonequinha de luxo, Audrey Hepburn, alçou as modestas sapatilhas ao estrelato no mundo fashion. Sempre elegante e dotada de 1,75 metros de altura, o salto alto realmente não era acessório necessário para ela. Desenhadas pelo designer Salvatore Ferragamo, o modelo usado por Audrey entraram de vez para a lista dos sapatos mais famosos do mundo. Em alta novamente, há muitas opções nas vitrines por aí. Práticas e confortáveis, é preciso apenas ter cuidado na hora de escolhê-las para um look mais elaborado

CATHERINE DENEUVE
Outra diva do cinema, Catherine Deneuve, imortalizou o modelo preto baixo, com fivela prata, ao usá-lo no filme "Bela da Tarde". O sapato foi criado por Roger Vivier para Yves Saint-Laurent, que assinou o figurino da produção.



Sapato modelo preto baixo, com fivela prata
Famosas brasileiras também não pisam em falso quando o assunto é... sapatos!

CLAUDIA RAIA
A atriz Cláudia Raia, por exemplo, possui em seu armário mais de 400 pares.

HEBE CAMARGO
E a apresentadora Hebe Camargo também não resiste a um modelo novo, tem mais de 200.



CHRISTIAN LOUBOTIN
Todas as mulheres aos seus pés
Christian Louboutin  é um designer francês de calçados que lançou sua linha de sapatos principalmente femininos na França, em 1991. Sua marca registrada do designer é a sola vermelha.1
Fascinado por sapatos desde criança, o designer usou como base de suas primeiras coleções rascunhos de infância feitos em seus cadernos de escola.1 Aos 15 anos, começou a criar sapatos para dançarinas. Na década de 1980, criou modelos para Christian Dior, Chanel e Yves Saint Laurent, mas desistiu da carreira e decidiu se tornar paisagista e colaborador da Vogue. Ele sentiu falta de desenhar sapatos e, anos mais tarde, se associou a amigos e abriu a primeira loja em 1992, na França.2 Desde 1992, seus projetos têm incorporado as solas vermelhas laqueadas, que se tornaram sua assinatura. Em 27 de março de 2013, apresentou um pedido para os EUA de proteção à marca registrada deste exclusivo design vermelho.

MANOLO BLAHNIK
Atualmente, além de Manolo Blahnik, compõem a lista dos designers mais cobiçados do mundo
Um dos mais badalados designers da atualidade, o espanhol Manolo Blahnik, viu seus sapatos virarem mania nos Estados Unidos, após serem adotados pela personagem Carrie, do seriado "Sex and the City", interpretada pela atriz Sarah Jessica Parker. Chiquérrima, em seu armário não faltavam modelos Dior, Gucci e Dolce & Gabbana, mas sua verdadeira obsessão eram mesmo os tais sapatos Manolo Blahnik. 

SARA JESSICA PARKER
Na vida real, Sara Jessica Parker se mostrou igualmente maníaca pelas sandálias desenhadas pelo espanhol. Durante um assalto, implorou ao ladrão: "Pode levar a bolsa, o anel, o relógio, mas deixa meu Manolo Blahnik!".

PATRICK COX
O canadense Patrick Cox

JIMMY CHOO
O sino-malásio Jimmy Choo

SERGIO ROSSI
E o italiano Sergio Rossi

As brasileiras também têm um produto made in Brazil para incluir na lista dos sonhos de consumo dos pés
CONSTANÇA BASTOS
 A grife da carioca Constança Basto fez nome por aqui e conquistou Nova York, onde tem loja própria e espaço na sofisticada Henri Bendel, loja de departamentos na badalada Fifth Avenue. Nicole Kidman e Cameron Diaz são algumas das clientes estreladas, que se renderam aos sapatos cheios de estilos criados por Constança.

FERNANDO PIRES
Fernando Pires-Nasceu em São Vicente,1954,fez faculdade de Arquitetura e Urbanismo e começou a mudar o seu destino em 1982. 
 O estilista presenteou a cantora  MADONNA, foi em 1993, com uma plataforma preta, que ela adorou
“Ela simplesmente se apaixonou pela plataforma, então resolvi lhe dar de presente. Seu irmão veio à loja buscar e, no outro dia, ela já estava desfilando com o sapato. Fiquei superfeliz”, revelou Fernando.
Em sua última ida ao Estados Unidos, no fim de 2008, quando foi assistir a um show de MADONNA, ele deu mais dois pares de sapatos a ela. Fernando explicou o motivo de tantos mimos:
"Sempre que posso, dou pelo menos um par a ela. Não faço por marketing, apenas por prazer, já que não faço questão de ficar divulgando. É somente por admiração e carinho pela nossa amizade”.

Hoje está nos pés de:
 Adriane Galisteu, Carla Perez, Hebe Camargo, Claudia Raia entre outras.Seu forte são as plataformas altíssimas…

fotos: divulgação









































































































TRÊS TIPOS DE SALTO QUE VOCE TEM OU JÁ TEVE

Os saltos fazem a milenios a cabeça e os pés das mulheres. Historiadores encontraram esses acessórios em tumbas egípcias que datam de 1.000 a.C. No Japão, as cortesãs usavam tamancos com quase 30 centímetros de altura para ficarem mais sensuais. Porém, a invenção do salto alto é atribuída a Catarina de Médici. Filha de uma rica família italiana, ao se casar com o príncipe francês Henry II, fez questão de levar na bagagem centenas de sapatos com saltos que a deixavam com altura suficiente para alcançar o esposo. A novidade fez sucesso na aristocracia francesa e até os homens aderiram à moda. Além de impedirem que os pés ficassem enlameados, os saltos ganharam simbologia de status social. Com o passar dos anos, foram surgindo diferentes tipos de saltos.

Anabelas, Plataformas e, para desespero dos ortopedistas, os temidos saltos Agulhas.

SALTOS DE VOCE TEM OU JA TEVE:

AGULHA



Salto agulha (estileto) e fino: Considerado um dos mais elegantes e sexies, o salto agulha surgiu nos anos 50 pelas mãos do estilista Charles Jourdan. No entanto, é classificado pelos ortopedistas como o vilão-mor dos saltos altos. Esse tipo de plataforma reduz a sustentação do corpo exercida pelo calcanhar, sobrecarregando os dedos e a região plantar do pé. Ainda que possua os mesmos problemas do salto estileto, o modelo com salto fino achatado oferece mais equilíbrio que o tipo agulha.

PLATAFORMA E ANA BELA


 Ficou famosa na década de 60 e ainda é muito procurada nos dias de hoje. Um dos calçados mais confortáveis, o plataforma distribui melhor a pressão do corpo sobre os pés. O formato da ponta, geralmente triangular, ajuda no movimento, impulsionando o corpo para frente. O único perigo são as torções e fraturas de tornozelo. Assim como o plataforma, o anabela é distribui melhor o peso do corpo e diminui a ocorrência de dores. Seu salto inteiriço é ideal para quem vai passar muitas horas em pé.

QUADRADO E CENTRAL

 O salto quadrado é um dos preferidos da mulherada no dia-a-dia. Por oferecer apoio para o calcanhar, esse salto ajuda no equilíbrio do corpo, sem sobrecarregar os dedos dos pés. Já o salto central que sai do meio do calcanhar facilita o equilíbrio do corpo e deixa os dedos confortáveis.

fotos: divulgação



























































































































HISTÓRIA DO SALTO AGULHA


SALTO AGULHA

HISTÓRIA DO SALTO AGULHA




SALTO AGULHA STILETTO



O salto agulha, também conhecido como stiletto, alfinete de chapéu, flauta, florete, espigão ou salto lápis, pode ser considerado o campeão de preferência fetichista, mas o máximo desse modelo foi inventado no início dos anos 50 em Itália, e era fabricado em madeira com miolo de metal.

O stiletto tornou-se possível depois da 2ª Guerra Mundial, quando os fabricantes foram capazes de conceber barras de aço fino suficientemente fortes para suportar o peso de uma mulher.

Muito alto, mas de aparência delicada, ele restringe, dificulta o andar e pode-se partir sob pressão, mas o andar sinuoso que ele provocava era o acompanhamento ideal para as roupas ultra femininas da época.

Nos anos 60, um plástico resistente foi o substituto para o uso deste salto.

Na pós-guerra, era o complemento ideal para os elegantes tailleurs, e a sua altura podia atingir os 9 centímetros.
Apesar de tal medida ter sido alvo de muitos críticas na época, este salto já chegou aos 12 centímetros no final do Século 20 e início do Século 21.
Assim, podemos concluir que o




“Salto agulha é a personificação da feminilidade.”


 
Mas uma pergunta continua em aberto.
Foi Roger Vivier ou Salvatore Ferragamo que inventou este salto?

“Isso continua a ser um mistério”, diz Sarah Beam a directora do Museu Bata em Toronto.




Este salto foi visto pela primeira vez em 1952 num show deste costureiro




Enquanto Vivier é, normalmente, considerado o inventor deste salto, através dos seus modelos criados para Christian Dior  esta directora julga que seja difícil determinar o verdadeiro inventor, depois de inúmeros exemplos de sapatos criados por Ferragamo, pelo designer Beth Levine, ou por Albanese de Roma e Dal Có que apresentaram saltos agulha, em Itália, por volta de 1953.
Curiosidade: Os sapateiros adoravam estes saltos porque as capas tinham de ser substituídas frequentemente. Os médicos desaconselhavam-nos, devido aos tornozelos torcidos e partidos que provocavam.

Além disso estes saltos, por terem a sua base em aço, provocavam um ruído irritante e perfuravam certos pisos.

Assim, foram banidos dos aviões e proibidos em muitos edifícios públicos que, por vezes, forneciam sacos à entrada para as senhoras protegerem os saltos dos seus sapatos.

Apesar da sua má reputação – tornaram-se a imagem de marca das meninas mal comportadas -, no final dos anos 50 os stilettos eram os únicos sapatos que uma mulher elegante podia usar.



                       A estrela de Hollywood Jayne Mansfield, possuía 200 pares destes sapatos.


Nos anos 60, a popularidade destes saltos foram diminuindo, voltando a surgir no final dos anos 70 e têm mantido os seus apreciadores até hoje.

E para acabar esta história vou usar, novamente, uma frase emblemática:

“O stiletto pode ser considerado o maior dos milagres da moderna tecnologia do calçado.”















fonte /  http://www.sindicaljau.com.br/
 fotos/ divulgacao